Mais notícias

Secom UnB

TRANSPORTE - 26/10/2015

Versão para impressão Enviar por e-mail
Júlio Minasi/UnB Agência
 

As pedras no caminho do ciclista

Estudo aponta as dificuldades para se trafegar de bicicleta no campus Darcy Ribeiro. Expansão das ciclovias e campanhas educativas são sugestões para melhorar as condições para quem pedala
Hugo Costa - Da Secretaria de Comunicação da UnB



 Tamanho do Texto

Irregularidades nas ciclovias, cruzamentos perigosos e falta de locais adequados para guardar bicicletas. Esses são alguns dos problemas enfrentados pelos ciclistas que circulam no campus Darcy Ribeiro, segundo pesquisa publicada este ano por estudantes do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental (ENC/FT). Outra constatação é a de que é necessário investir em conscientização para garantir um trânsito mais harmonioso na Universidade.

O diagnóstico é resultado do mapeamento de mais de 20 km de ciclovias, da identificação e análise do estado de conservação de paraciclos e de questionários aplicados a ciclistas e não ciclistas. Entre os problemas encontrados nas pistas exclusivas para as bicicletas estão a descontinuidade de trechos, como ocorre próximo ao Hospital Veterinário na Via L4 Norte, e a falta de iluminação e placas em travessias perigosas.

A insuficiência e a degradação de paraciclos foram as principais dificuldades detectadas para estacionar as bicicletas. O levantamento deu origem à criação de um mapa virtual com indicação de pontos, fotos e avaliação das paradas das bicicletas.

Júlio Minasi/UnB Agência
Autores da pesquisa, estudantes Aline, Surik e Amanda e professor Gonzalez

"Nosso trabalho teve duas frentes: a questão da estrutura e a do comportamento dos ciclistas", explica a estudante Amanda Borges, uma das cinco responsáveis pela pesquisa. Ela destaca que o grupo também se preocupou em incluir informações sobre experiências externas no uso e compartilhamento de bicicletas. "Essa pesquisa leva em consideração a bicicleta como um veículo que pode ter impactos positivos não só para a mobilidade, mas também para a humanização e a saúde", afirma.

EXPERIÊNCIA SOBRE DUAS RODAS – Questionários aplicados a 50 ciclistas indicam que a convivência no campus com pedestres, motoristas e até outros usuários de bicicleta nem sempre é harmoniosa. Mais de 40% afirmaram já ter enfrentado situações difíceis em decorrência de problemas que incluem o fluxo de pessoas a pé nas ciclovias e a alta velocidade dos carros em cruzamentos.

Por outro lado, os entrevistados admitem não conhecer as regras de trânsito para ciclistas. Apenas 10% disseram estar por dentro das normas, e a maioria (72%) não costuma usar equipamentos de segurança como o capacete. "Isso mostra que é preciso investir na conscientização das pessoas", avalia a aluna e pesquisadora Aline Amaral.

PROPOSTAS E AÇÕES – A produção de um folder com recomendações para a comunidade acadêmica é uma das contribuições dos estudantes para melhorar o trânsito no campus. A pesquisa também sugere a expansão das ciclovias com traçados que passem pelos novos prédios e a criação de um sistema de compartilhamento interno com estações fixas para o empréstimo de bicicletas.

Júlio Minasi/UnB Agência
Parceria entre Prefeitura e DCE instala e restaura paraciclos na UnB

Para o professor e orientador da pesquisa, Pastor Willy Gonzales Taco, as propostas são viáveis e nasceram "de um trabalho muito bom, que pode ter desdobramentos para ajudar a modificar a realidade da mobilidade no campus". Professor do Programa de Pós-Graduação em Transportes (PPGT), ele lembra que o estudo vai ser apresentado a autoridades de trânsito e a dirigentes da Universidade no próximo dia 28, durante a Jornada de Mobilidade.

O prefeito dos Campi, Marco Aurélio Oliveira, tem mantido contato com o professor Gonzales Taco e disse que ações como passeios ciclísticos pelo campus serão realizadas para dar mais visibilidade e conscientizar a comunidade sobre esse meio de transporte. Ele também ressaltou o esforço do Diretório Central de Estudantes que, em parceria com a prefeitura, começou a instalar e restaurar paraciclos na UnB.

Em relação às ciclovias, Marco Aurélio informou que a administração tem intensificado o diálogo com as autoridades de trânsito e com órgãos do governo local, responsáveis pelas pistas que cortam a Universidade. "Temos que manter o Governo do Distrito Federal informado sobre a situação das ciclovias para que os problemas sejam resolvidos", disse ele, que confirmou presença na jornada.

Quem também participa do evento é o Detran/DF. Segundo o coordenador regional de trânsito do órgão, Glauber Peixoto, o serviço de sinalização de vias está em fase de licitação e a UnB é uma das áreas prioritárias.

A pesquisa Mobilidade Sustentável no Campus Darcy Ribeiro - Bicicleta foi realizada por estudantes da disciplina Planejamento de Transportes, obrigatória para o Curso de Engenharia Civil. Além de Aline Amaral e Amanda Borges, o trabalho teve a participação dos estudantes Gabriel Carvalho, Amir Araghi e Surik Nicols e a colaboração do aluno de mestrado Rony Marcelo Arteaga Velasquez, do Grupo de Pesquisa Comportamento em Transportes e Novas Tecnologias do PPGT.

Todos os textos e fotos podem ser utilizados e reproduzidos desde que a fonte seja citada. Textos: Secom UnB. Fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.

Pesquisar Noticias [ ]

Fale conosco pelo
e-mail secom@unb.br