Mais notícias

UnB Clipping

22/01/2010 - YAHOO!

Versão para impressão Enviar por e-mail

22/01/2010 - Universidade cria técnica de reciclagem de restos de cigarro



 Tamanho do Texto

Assim como a maior parte do lixo que produzimos, as bitucas de cigarro também podem ser recicladas. Esse processo, inédito no mundo, foi criado pela equipe da professora doutora Therese Hofmann Gatti, subchefe do Departamento de Artes Visuais da UNB (Universidade de Brasília), e já está em processo de patente.
Processadas, as bitucas são transformadas em papel, como explica a professora nesta entrevista exclusiva ao Yahoo!.




Yahoo!: Como é feita a reciclagem de bitucas de cigarro?
Hoffman: Desenvolvemos uma tecnologia aqui na Universidade de Brasilia que permite aproveitar todo o resíduo dos cigarros, transformando-o em papel. Basicamente, o material descartado (bituca, restos de fumo, papel que envolve o filtro) é coletado e processado química e mecanicamente. Os detalhes do processo nós não podemos divulgar por exigência do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) enquanto corre o registro da patente. O processo foi registrado no INPI em 2003. A patente está registrada em nome da UNB, do aluno Marco Antonio Barbosa Duarte, meu e do professor Paulo Anselmo Ziani Suarez.




Yahoo!: O que se obtém desse processo?
Conseguimos obter vários tipos de papéis que podem ser utilizados em várias finalidades: papéis para impressão, embalagem, pastas, folders, blocos, certificados, convites, etc. E tudo isso sem qualquer odor de cigarro.




Yahoo!: Um quilo de bitucas gera o quê?
Podemos dizer que o aproveitamento do resíduo é 100%, ou seja, conseguimos reciclar e reutilizar todo material descartado: bitucas (filtro), restos de tabaco, papel, caixa do cigarro. Outra coisa é o rendimento que este material vai dar em termos de celulose. Nesse caso, tem uma variação entre 80% e 100%. Posso ter de um quilo de bitucas entre 800 gramas a 1000 gramas de celulose.




Yahoo!: Alguma outra instituição faz a reciclagem de bitucas de cigarro?
Quando começamos a pesquisa em 2003 fizemos uma ampla busca sobre o tema. Além de pesquisa bibliográfica e sites, visitamos as duas maiores produtoras de cigarro no Brasil: a Souza Cruz e a Philip Morris. Tivemos contato também com a fábrica Filtrona do Brasil, que nos forneceu alguns filtros para a pesquisa, e a Bayer, que produz a base para os filtros. Devemos lembrar que o material que produz os filtros de cigarro é basicamente o mesmo usado como reservatório para algumas canetas. Depois de toda essa investigação, verificamos que nosso projeto é inédito, no Brasil e no mundo. Por isso, decidimos patenteá-lo.




Yahoo!: Quais outros produtos vocês reciclam?
A UNB trabalha com a reciclagem de papel e produção de papel artesanal desde 1980. Nesses anos todos desenvolvemos pesquisas para a produção de papel com diversos resíduos de colheitas agrícolas (milho, soja, abacaxi, cana-de-açúcar, bananeira, etc.) resíduos vegetais diversos como resíduos de jardim (gramíneas, cana do reino, bambu, sisal, paina, etc), aparas de papéis, sacos de cimento, etc. Temos outra patente ja concedida que é a reciclagem do dinheiro descartado pelo Banco Central. Temos um trabalho de capacitação de ex-presidiários na produção artesanal de papel, que é o projeto Reciclando Papéis e Vidas, que está sendo aplicado no presídio de Tremembé (SP) com o patrocínio da ABTCP e da Votorantin. E estamos replicando nosso trabalho de produção de papel com a utilização de resíduos agrícolas junto a agricultores familiares dos arredores de Brasília com o patrocínio do MCT/Secretaria de Inclusão Social.

Pesquisar Noticias [ ]

Fale conosco pelo
e-mail secom@unb.br

 

Atenção
A reportagem ao lado faz parte do clipping da Secretaria de Comunicação. Não é de autoria da UnB Agência, sendo de responsabilidade exclusiva do veículo em questão.